sábado, 5 de setembro de 2015

Pequenas mentiras



Amor não é prisão, a insegurança e a posse mostram que há algo errado no relacionamento.
A necessidade de se omitir ou mentir sobre algo informa ao outro que não se confia nele, ou que teme que o outro não confie em seus atos. Mas de onde surge esse temor?
Relacionamentos são pautados na confiança mútua, e a quebra da confiança deixa feriadas que podem ou não cicatrizar. Para que cicatrize é necessário limpar as feridas, tratar delas e fazer os curativos necessários. Abafar a ferida pode fazer com que ela apenas cresça, e quando menos se espera que ela reabra.
Nesse contextos podem surgir pequenas mentiras com a intenção de não mexer nessas feridas... mas essas mentiras crescem. O outro pode nunca ficar sabendo que elas existem, mas também podem fingir que não as vê.
Em uma relação amorosa, uma conversa pode ser uma traição ainda maior do que uma relação sexual, se um encobre isso do outro. Afinal, porque omitir ou até mentir que se comunica com uma outra pessoa, se não há nada acontecendo? Onde esta a maturidade da relação? Onde esta a confiança? Se é preciso mentir, não se esta fingindo uma intimidade inexistente?
Relacionamentos precisam ser alimentados, mas é importante saber o que se alimenta. Você sempre irá redescobrir quem se é ao se relacionar com o outro, mas também perceberá que há coisas que você tem que pensar muito bem se você esta mudando por você ou para agradar o outro e deixando ser você.
Não há uma formula certa ou errada. Mas quando é necessário mentir para manter um relacionamento, é preciso refletir até que ponto você conseguiria manter essa mentira, e o quão saudável isso seria. Mentiras crescem, geralmente além do seu controle,

Nenhum comentário:

Postar um comentário